terça-feira, fevereiro 05, 2013

Amor impossível (de esquecer)

Conheci minha vida e ela já era de outra. Eu sempre soube da sua faixa de Amor Impossível em volta de todo o corpo, mas chegou num ponto que eu só conseguia ler o Amor. Eu me jogava cada dia mais na gente e você sempre me dizendo pra eu me apoiar em algum outro lugar, pra não terminar sem chão. Você não era firme, não era meu e eu sabia. Agora, não me apegar ao nosso tudo camuflado de nada, isso era demais, não deu. O difícil de entender nem é o amor acontecer bandido, invadindo e virando tudo de pernas pro ar. O difícil é você deixar toda a magia de lado, pra viver uma vida fria e automática fora da minha, da nossa. Não entendo a questão que você faz do seu nada fantasiado de tudo, nunca vou entender sua escolha ou covardia. Chega de medo de esclarecer as coisas, quero cartas na mesa, preto no branco, você comigo ou sem mim. Chega de medo de saber o que eu sinto pra te restar alguma sensação de menos culpa porque, mesmo que em silêncio, tudo isso grita em mim todos os dias e grita teu nome. Então responde. Vem ser feliz ou fica pra uma vida sem sal e sem amor. Quando você for embora, posso ficar sem chão, como já era de se esperar. Mas uma hora eu me refaço, porque sou inteira e de verdade, pago o preço por isso, mas também tenho minhas garantias. Mas e você? Acha mesmo que o seu chão é firme? Acha mesmo que tem um chão? Grandes mudanças são sempre muito difíceis, mas viver cômodo nunca vai ser viver.

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Não preciso te dizer que visito o seu blog e sua página no Facebook todos os dias não é? E também não preciso dizer que você foi uma das que mais me influenciou a criar um blog de textos e que de quebra me faz ficar mais fofa de vez em nunca, porra. rsrs É sério, seus textos são maravilhosos e sua maneira de escrever é única, mesmo não vivendo aquilo que você escreve, consigo acabar o texto e dizer "sim, é isso!". Aí hoje me bateu uma dúvida e resolvi questioná-la, mesmo sabendo que posso não obter resposta: Como você consegue escrever sobre esse tema (amor, decepções amorosas, etc)? Você VIVE isso ou desenvolveu a arte de escrever sobre isso? Aguardo resposta porque estou curiosa como uma boa jornalista que sou! Beijos e SUCESSO SEMPRE!

    ResponderExcluir
  3. Lindaaaa!! rsrs Muuuuito obrigada pelo carinho, viu :) De coração. Então, a maioria eu vivo, alguns não. Esse, no caso, foi um pedido de uma leitora, na época que eu fazia textos à pedidos sobre a história de cada um. Acho que quando o texto é sobre a minha vida, flui mais fácil, automático. Mas eu consigo escrever sobre qualquer historia, contanto que me contem os detalhes que querem desenvolvidos pelo texto, porque o amor sempre mantém sua essência. Se você já amou, sabe escrever sobre qualquer história de amor! :) Beeeeijos, sucesso pra nós.

    ResponderExcluir
  4. Olá, voltei (como sempre) rsrs e fiquei feliz por ter me respondido. No comentário anterior esqueci de te passar o Facebook do meu blog, posto a maioria dos seus textos lá, não é marketing não, é só para você ver o que de certa maneira você contribuiu para acontecer. Estamos engatinhando, mas com calma a gente chega lá e seus textos sempre marcarão presença. Beijos Marcela. O link abaixo! .)
    https://www.facebook.com/pages/Desculpe-o-au%C3%AA/558043700880049

    ResponderExcluir
  5. Oii Marcella! Tenho amado seus textos! AMADO, muito mais porque percebo que me encaixo na maioria deles. Dizem tudo o que eu quero dizer e o que eu não consigo entender dentro de mim! Muito obrigada, é o que tenho a dizer!

    ResponderExcluir
  6. "Grandes mudanças são sempre muito difíceis, mas viver cômodo nunca vai ser viver."
    Só quem já realmente viveu um Amor Impossível (com faixa e tudo, legível ou não), é que sabe o tormento que ele carrega e o sonhar que possibilita.
    Parabéns pela sensibilidade na escolha das palavras! Adorei.
    Grande abraço, continue crescendo!
    http://explosaodevento.blogspot.com

    ResponderExcluir

Publicidade (juro que eu escolho com carinho):