quarta-feira, novembro 16, 2011

Tati Bernardi


Ela ainda não tinha aprendido a virar uma escrota maluca e largar o cara falando sozinho na festa, ela ainda tinha a bondade de ir chorar no banheiro e esperar que a vida pudesse voltar a ficar bonita depois da descarga cheia de papel higiênico com ranho. Eu, infelizmente, já tava mais pra loira safada do que pra Aninha. Come o brigadeiro, Aninha. E eu torço, do fundo do meu coração, pra que você consiga virar essa mulher que não enlouquece, que é superior, que entende a natureza, que aceita que os homens flertam mesmo, procuram mesmo, não conseguem mesmo, mas que, aos poucos, talvez, você consiga acalmá-lo, casar, ter filhos e que, talvez, sei lá, você possa aceitar essa natureza nojenta, o mundo como ele é. (...) Eu nunca consegui, nunca, eu quero que a natureza se foda

6 comentários:

  1. Quando a gente aprender a ser uma escrota maluca e a largar o cara falando sozinho na festa, o cara com certeza, vai dar mais valor, vai atras.

    Um beijoo'oo^^

    ResponderExcluir
  2. A gente escolhe em que lado quer jogar.

    Pra mim é assim.

    ;)

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  3. É das escrotas malucas que eles gostam mais
    #FATO

    http://oamorhadevencer.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. É isso aí!hahaha
    Já combina com você! :D

    ResponderExcluir
  5. Putz , é incrível como a Tati é o meu lado desabafo. Em bem que tentava ser uma mulher não louca, sem neuroses e coisas e talz. Mas ele nunca me deu motivos suficientes para isso. É por isso que eu concordo miil vezes com a Tati, que vá ferrar toda essa coisa de ser certinha, pq acredito eu, nunca levou mulher nenhuma a nada.

    ResponderExcluir

Publicidade (juro que eu escolho com carinho):